sábado, 17 de setembro de 2011

FRONDOZA ÁRVORE*


Um sonho perdido no tempo
Vida sem ser vivida... aguarda
Senhora que não foi com o vento
Em gavetas seus sonhos guarda

Jovem amante do que não valeu
E amores somente a fez sofrer
Em busca de sonho que pereceu
Mas sede de vida fez tudo valer

Suas sementes inibidas jogadas
Brotaram o que hoje é seu sustento
Mágoas esquecidas e cicatrizadas
Trocou por sorriso o que era lamento

Espalha carinho e faz-se o amor
Frondoza árvore enfim se tornou
Também é amada, cuidado e calor
E frutos a cercam pois muito amou


* Sou o fruto desta Frondoza Árvore...minha mãe!
Valéria Lisita

Nenhum comentário:

Postar um comentário